Papa Francisco classifica abuso infantil como ‘crime abominável’

  • Por Jovem Pan
  • 25/02/2019 06h35
EFENo fim de semana, pontífice fez discuso por mais de meia hora

O Papa Francisco classificou o abuso sexual infantil como “crime abominável” que “esconde a mão do mal” sem poupar a “inocência das crianças”. Após uma reunião história sobre o tema, o pontífice anunciou medidas para a proteção de menores e adultos vulneráveis. O encontro ocorreu diante de diversas acusações que abalaram a imagem da Igreja. Para o Papa, não há explicações suficientes para abusos contra crianças.

“Na Igreja, cresceu a consciência do dever não apenas de tentar conter os mais graves abusos com medidas disciplinares e processos civis e canônicos, mas também enfrentar o fenômeno decisivamente dentro e fora da Igreja. Ela se sente chamada a combater esse mal que toca o centro da nossa missão que é anunciar o Evangelho aos pequenos e protegê-los dos vorazes lobos”, afirmou o pontífice.

Em mais de meia hora de discurso, o Papa declarou que era tabu falar sobre o tema no passado e reforçou que “a gravidade” dos crimes contra menores é um fenômeno histórico. Ele comparou a prática ao sacrifício de humanos em ritos pagãos. Francisco também jurou que a Igreja “não pouparia esforços” para levar os abusadores à justiça e não encobriria nem subestimaria o abuso.

O Vaticano declarou que vai formular medidas para acompanhar a implementação dos procedimentos anti-abuso por bispos de todo o mundo. O Papa apresentou sete estratégias que devem ser seguidas pela Igreja no combate a pedofilia. Entre as medidas estão a proteção de crianças contra qualquer abuso psicológico ou físico, o acompanhamento de vítimas e o compromisso em levar os responsáveis à Justiça.

*Com informações da repórter Marcella Lourenzetto