Para assaltar carros-fortes, quadrilha incendeia caminhões e troca tiros em rodovia

  • Por Jovem Pan
  • 22/12/2017 07h48 - Atualizado em 22/12/2017 07h51
Reprodução/TV VanguardaCarro-forte é atacado por bando fortemente armado na rodovia Tamoios

Uma quadrilha incendiou caminhões em mais uma tentativa de assalto a carros-fortes na região do Vale do Paraíba, interior de São Paulo. Desta vez, o ataque ocorreu pouco depois das 21h desta quinta-feira (21) na altura do quilômetro 20 da Rodovia dos Tamoios, a cerca de um quilômetro e meio da praça de pedágio, no município de Jambeiro.

Antes do ataque, o bando, formado por cerca de 20 criminosos, distribuídos em vários veículos, parou dois caminhões e ateou fogo nos veículos atravessados na pista sentido Capital, para dificultar a aproximação de viaturas da polícia.

Em seguida, eles trocaram tiros com seguranças de dois carros-fortes da empresa Protege. No confronto, um dos vigilantes da transportadora de valores ficou ferido, mas sem gravidade e passa bem.

Os vigias conseguiram escapar da quadrilha que, em seguida, instalou explosivos nos blindados e detonou. Mesmo assim, segundo as primeiras informações, os assaltantes não conseguiram ter acesso aos malotes e acabaram fugindo sem roubar nada.

A Polícia foi acionada, mas não conseguiu localizar nenhum dos veículos dos bandidos, que seguem foragidos. A ação provocou interdição da rodovia em direção a São Paulo, o que gerou grande congestionamento.

Pela manhã, a pista voltou a ser fechada para o trabalho do GATE, que teve de ser acionado para recolher explosivos abandonados pelos criminosos no local do ataque.

Ataques semelhantes

Já são pelo menos três ataques a carros-fortes na mesma região nos últimos três meses. Em novembro, um caminhoneiro morreu com um tiro na cabeça ao ficar em meio ao tiroteio no quilômetro 14 durante um cerco a um blindado da Brinks.

E em setembro, um carro-forte da Protege foi perseguido e atingido a tiros no quilômetro 16. Os vigilantes conseguiram escapar por uma estrada de terra.

Informações do repórter Jovem Pan Paulo Edson Fiore ao Jornal da Manhã