Para coibir uso de celulares, governo francês cogita instalar telefones fixos dentro de prisões

  • Por Jovem Pan
  • 23/08/2018 08h54
ReproduçãoPara o governo francês, a presença de celulares nas penitenciárias preocupa pois abre a porta para outros crimes

Após apreender 40 mil celulares nas prisões no ano passado, a França cogita instalar telefones fixos nas celas dos presos. Além disso, autoridades pensam em ampliar os equipamentos que interferem no sinal.

A direção francesa de Administração Penitenciária declarou que lutar contra a presença de celulares é uma batalha perdida. Os aparelhos são introduzidos nas prisões durante as visitas ou são lançados do exterior na zona de banho de sol.

Além disso, os telefones contêm poucos componentes feitos de metal, o que torna mais difícil encontrá-los durante as revistas.

Para o governo francês, a presença de celulares nas penitenciárias preocupa pois abre a porta para outros crimes como a radicalização islâmica, a preparação de fugas e o tráfico de drogas.

Para os idealizadores, a medida da instalação de telefones fixos dentro das celas é para não isolar os detentos de seus familiares.

O governo já validou a iniciativa que vinha sendo solicitada há anos pelas associações de apoio aos detentos. Um programa piloto já foi testado em 2016 e 2017 em prisão de Montmédy, no leste do país.

Os resultados do teste foram considerados muito positivos, pois teriam reduzido as tensões dentro das penitenciárias e também o número de celulares apreendidos.

*Informações do repórter Victor Moraes