Partido conservador perde cadeira no parlamento e coloca Brexit em risco

  • Por Jovem Pan
  • 02/08/2019 09h58
EFEPrimeiro-ministro pode convocar novas eleições

Quando o caminho do Brexit parecia finalmente ganhar contornos de definição, uma nova guinada nas urnas veio para embaralhar tudo. O partido conservador perdeu um assento no parlamento nesta quinta-feira (1) em uma eleição regional no País de Gales. 

Isso significa que, agora, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, tem apenas um voto de maioria na Câmara dos Comuns. Ou seja: qualquer tentativa dele de tirar o país da União Europeia na marra pode ser facilmente bloqueada pela oposição. 

A história toda começou de maneira bastante constrangedora para os conservadores. O parlamentar do partido na região de Brecon and Radnorshire, Chris Davies, foi cassado depois de um escândalo envolvendo notas fiscais falsificadas para prestação de contas no parlamento. 

Davis perdeu o mandato porque alterou uma nota no valor de £ 450 , ou cerca de R$ 2 mil. E não foi nem para ‘enriquecimento próprio’, não. Foi para poder utilizar verba de gabinete de um fundo específico para comprar fotos que decorariam seu escritório, em Westminster. 

Com isso, uma eleição local foi convocada e, no fim, o assento acabou com os Liberais Democratas, partido que se opõe duramente à separação da União Europeia.

Johnson já não tinha mesmo maioria confortável na Câmara dos Comuns e há expectativa de que uma eleição geral seja convocada neste ano. Só não se sabe se ela será antes ou depois do divórcio europeu. 

Agora, o governo detém 320 cadeiras no parlamento contra 319 da oposição. Basta que apenas um conservador se rebele para que os planos do primeiro-ministro naufraguem. Por isso, cresce a possibilidade de uma eleição geral que pode consagrar Johnson ou torná-lo o primeiro-ministro com um dos mandatos mais breves da história.

*Com informações do repórter Ulisses Neto