Pela 3ª vez, Denatran anuncia projeto para placas de carros seguirem padrão do Mercosul

  • Por Jovem Pan
  • 09/03/2018 07h32
Wikimedia Commons Wikimedia Commons A partir de 1º de setembro deste ano, as placas dos carros vão mudar de visual. A resolução do Contran já foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (08)

Pela terceira vez, o Denatran anunciou que o projeto de padronizar as placas dos carros com o modelo dos países do Mercosul vai sair do papel. A resolução para essa mudança foi publicada no diário oficial dessa quinta feira.

A partir de 1º de setembro deste ano, as placas dos carros vão mudar de visual. A resolução do Contran já foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (08).

A nova placa vai adotar o padrão usado pelos países do Mercosul, como Argentina, por exemplo.

Agora, serão quatro letras e três números, que podem vir embaralhados, não mais na ordem que temos hoje.

Na parte de cima, uma faixa azul com nome do Brasil e o brasão do País e do Estado de licenciamento, do lado direito.

Do lado esquerdo, um chip e um QR Code para facilitar a leitura e identificação do carro pela polícia.

O fundo de todas as placas vai ser sempre branco. O que muda agora é a cor das letras e dos números. Eles vão continuar pretos para os carros de passeio, vão vir vermelhos para os carros comerciais, verde para os de teste. Para os diplomáticos, letras e números dourados e azul para carros oficiais, e os de coleção, a cor prateada.

O tamanho da placa vai continuar o mesmo e, por isso, nenhum carro vai ter que fazer nenhuma adaptação. Todo carro zero tirado a partir de setembro já virá com a nova placa.

Os carros usados ou comprados até lá ainda vão vir com o modelo de agora e têm até 2024 para se adaptarem à nova resolução.

O Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) não divulgou qual o valor das novas placas, mas disse que deve ser menor que o que é pago hoje em dia.

O objetivo dessa mudança é aumentar para 450 milhões de possibilidades de combinações. Atualmente são 175 milhões.

*Informações do repórter Caio Rocha