Percepção “desconfiada” de retomada econômica faz brasileiros empreenderem

  • Por Jovem Pan
  • 26/03/2018 08h14
Marcos Santos/USP ImagensCom a retração de 3,8% em 2015 e de 3,8% em 2016, mais de 12 milhões de pessoas ficaram sem emprego, e muitos autônomos viram o próprio negócio ruir

Apesar dos indicadores de que a retomada da economia segue a todo vapor, a percepção dos brasileiros continua embasada na desconfiança.

Com a retração de 3,8% em 2015 e de 3,8% em 2016, mais de 12 milhões de pessoas ficaram sem emprego, e muitos autônomos viram o próprio negócio ruir.

Paulo Tenorio, CEO da startup Trakto, ajuda pessoas a criar propostas comerciais e apresentações para empresas. Para ele antes de pensar em dinheiro, é importante se dedicar ao projeto.

Diante da crise, muita gente aproveitou as dificuldades para desenvolver bons negócios. É o caso da Nara Iachan, cofundadora da startup Cuponeria, que desenvolveu um formato de descontos por meio de cupons, que já é forte em outros países, para fazer sucesso no Brasil.

Uma outra opção é o mundo dos games. Esse mercado, que para na opinião de alguns envolve apenas jovens, movimentou um bilhão e 300 milhões de dólares só no ano passado. O Brasil é o principal mercado de jogos da América Latina.

Na esteira desse crescimento, Juliana Heimbeck desenvolveu a startup UpBeat Games, que cria diversos jogos para smartphones e tablets. Ela explica o diferencial do mercado tecnológico.

Para este ano, a expectativa é de crescimento do PIB está perto de 3%. Dados do varejo também indicam melhora na situação e a inflação baixa continua favorecendo o poder de consumo das famílias.

Agora é esperar que essa melhora econômica atinja de fato as casas e as mentes dos brasileiros.

*Informações do repórter Matheus Meirelles