PF cede drones à Força Aérea Brasileira

  • Por Jovem Pan
  • 15/01/2019 07h15
Jovem PanOs drones são dotados de câmeras de alta resolução, com capacidade de filmar e fotografar a distância, mesmo durante a noite ou com pouca luz

Cessão de drones comprados pela Polícia Federal à Força Aérea Brasileira marca o fim de um projeto que custou R$ 150 milhões aos cofres públicos e tinha como objetivo dinamizar o combate ao contrabando e à ação de traficantes nas fronteiras do país.

Dois veículos aéreos não tripulados conhecidos como “vants”, comprados em 2009, foram transferidos sem chamar a atenção. O custo do programa envolveu, além da manutenção dos aparelhos, o treinamento de equipes especializadas, que inclusive viajaram para o exterior a fim de aprender a manusear os equipamentos.

A mudança marca o abandono da proposta inicial, que tinha a finalidade de elevar a capacidade de investigação contra o tráfico de drogas e o contrabando, principalmente nas regiões fronteiriças. O uso dos drones evitava que agentes fossem colocados em risco durante as diligências.

O encerramento é visto como um duro golpe nas atividades de investigação da PF, embora a instituição não admita oficialmente. Os “vants” estão parados e parcialmente desmontados em São Miguel do Iguaçu, no Paraná. A presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Estado, Bibiana Orsi, apontou que a vigilância ficará enfraquecida com a transferência.

Os drones são dotados de câmeras de alta resolução, com capacidade de filmar e fotografar a distância, mesmo durante a noite ou com pouca luz.

Em nota, a FAB informa que a cessão dos “vants” tem como objetivo a otimização dos recursos, envolvendo aspectos logísticos e de manutenção e acrescenta que o acordo foi realizado a pedido da PF, e que os drones não serão usados para fins bélicos.

Já a Polícia Federal alega que a medida é uma forma de economizar, e que as necessidades operacionais da instituição não serão prejudicadas.

*Informações do repórter Daniel Lian