PGR diz ao STF que é ‘prematuro’ encerrar inquérito contra Bolsonaro por ataque ao sistema eleitoral

Presidente foi incluído no inquérito das fake news por criticar as urnas eletrônicas em transmissão nas redes sociais; subprocuradora-geral Lindôra Araújo fala em indícios da divulgação de notícias falsas

  • Por Jovem Pan
  • 21/12/2021 07h07 - Atualizado em 21/12/2021 08h59
ALEXANDRE BRUM/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO Presidente Jair Bolsonaro A PGR informou que a transmissão presidencial pode ter utilizado os mesmos mecanismos usados por uma milícia digital

A Procuradoria-Geral da República (PGR) defende a manutenção da investigação contra o presidente Jair Bolsonaro por divulgar informações incorretas sobre o sistema eleitoral. A manifestação do órgão foi enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF). O presidente foi incluído no inquérito das fake news por criticar as urnas eletrônicas e o sistema usados nas eleições durante uma live, realizada em julho deste ano. A subprocuradora-geral Lindôra Araújo afirma que é “prematuro” o arquivamento do inquérito porque há indícios da divulgação de notícias falsas. “Há indícios, portanto, de que possa ter havido a divulgação indevida de informações falsas e/ou de baixa confiabilidade, bem como que alguns dos envolvidos na viabilização da live ocorrida no dia 29.7.2021 tinham ciência da imprecisão das informações veiculadas”, diz a subprocuradora em texto. A PGR informou que a transmissão presidencial pode ter utilizado os mesmos mecanismos usados por uma milícia digital que é investigada pelo STF por ataques às instituições.

*Com informações da repórter Iasmin Costa