PIB do Reino Unido tem contração de 2% entre janeiro e março de 2020

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 13/05/2020 07h57 - Atualizado em 13/05/2020 09h03
EFE/EPA/NEIL HALLO Banco da Inglaterra projeta que a economia do país deve cair 14% em 2020

O Escritório Nacional de Estatísticas do Reino Unido confirmou o que já era esperado: a economia do país está caindo profundamente.

O primeiro trimestre de 2020 só teve uma semana das oito de quarentena até agora e, mesmo assim, o PIB registrou contração de 2% entre janeiro e março no pior resultado para o período desde a crise de 2008.

Ao contrário da França, o Reino Unido ainda não está em recessão técnica porque o trimestre anterior tinha sido de crescimento zero. Mas isso é apenas questão de tempo. Se olharmos para o mês de março apenas, quando a quarentena começou no dia 23, a queda foi de 5,8%.

Este é o pior resultado mensal do PIB britânico que se tem registro. Por isso a expectativa é de que, neste momento, a contração seja brutal. O Banco da Inglaterra projeta que a economia do país deve cair 14% em 2020.

Claro que as economias são muito diferentes — e as respostas dos governos para o desafio adiante também. Mas os números daqui sugerem que talvez as projeções do mercado brasileiro estejam conservadoras demais se comparadas ao resto do mundo.

Apesar dos resultados negativos, a autoridade monetária do Reino Unido indica que a recuperação também será rápida. A entidade projeta crescimento de 15% do PIB em 2021, recompondo parte das perdas trazidas pelo coronavírus.

E o país deve levar menos tempo para se recuperar totalmente — na crise de 2008 foram cerca de cinco anos.

Flexibilização na Inglaterra

A quarentena começa a ser flexibilizada nesta quarta-feira (13) na Inglaterra e o movimento nas ruas já cresceu — sobretudo no transporte público. O mercado imobiliário — que estava congelado desde o início da quarentena — também está sendo retomado.

Porém, as restrições de distanciamento social fazem com que o ritmo da reabertura seja lento e cauteloso, o que mantém impacto na atividade econômica.

Ajuda do governo

Por fim, o governo britânico começa a ajudar financeiramente os trabalhadores autônomos do país. Os cofres públicos vão pagar até 80% dos lucros desta categoria na média dos últimos três anos — com limite de 2.500 libras por mês.

Na terça-feira (12) o esquema para os trabalhadores comuns, que têm os mesmos valores, foi ampliado até outubro.

União Europeia e fronteiras internas

Enquanto isso, do outro lado do Canal da Mancha, alguns poucos países da União Europeia começam a abrir suas fronteiras internas. Alemanha e Áustria vão permitir viagens entre os dois países a partir de sexta, parcialmente, com abertura completa em 15 de junho.

Também na sexta-feira será criada a chamada ‘Bolha dos Bálticos’ com fronteiras abertas entre Lituânia, Estônia e Letônia.