Plano do Brexit entra em ‘limbo político’ e futuro da separação ainda é incerto

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 23/10/2019 10h08
ANDY RAIN/EFEAs pesquisas de opinião indicam que Boris Johnson deve conseguir ampliar a maioria conservadora no Parlamento, mas as pesquisas também erram

As reviravoltas do Brexit tiveram mais um capitulo nesta terça-feira (22). A Câmara dos Comuns votou e aprovou o plano de separação proposto pelo primeiro-ministro Boris Johnson em um acordo com a União Europeia.

Foi uma votação até expressiva para o governo, 329 a favor e 299 contra. Naquele momento parecia, inclusive, que essa história toda estava próxima de uma definição. Mas só parecia.

Na sequência, os parlamentares tiveram que votar o calendário de implementação das leis e dos meandros técnicos necessários para que o divórcio fosse implementado com acordo em 31 de outubro.

O governo insistia que era possível fazer todas essas tramitações nos próximos dias, concluindo o processo ainda essa semana. Mas os parlamentares não concordaram com isso e o plano de separação entrou em um limbo jurídico. Ninguém sabe exatamente o que vai acontecer com ele.

Os britânicos aguardam uma resposta de Bruxelas sobre o pedido de prorrogação do Brexit, que não deve mais ocorrer no dia 31 de outubro. A nova data, que parece bastante provável, é 31 de janeiro.

Neste ínterim Boris Johnson deve conseguir convocar eleições gerais, porque a intenção dele é ampliar a maioria conservadora no Parlamento e, assim, não ficar refém da oposição. Tanto ele quanto sua antecessora, Theresa May, têm sofrido bastante com isso.

As pesquisas de opinião indicam que Boris Johnson deve conseguir ampliar a maioria conservadora no Parlamento, mas as pesquisas também erram. Até por isso ninguém está cravando nenhuma análise sobre o resultado que essa eleição pode trazer.

Fato é que três anos e meio já se passaram desde que os britânicos optaram pela saída da União Europeia e ninguém aguenta mais esse debate no Reino Unido. Embora o processo todo esteja claramente na fase final, ele tem sido muito dolorido para a sociedade britânica.

Os parlamentares mandaram um recado para o Governo de que não adianta correr com a história justamente agora que ela entra em uma fase dicisiva.

Embora o Governo tenha vencido na Câmara dos Comuns nesta terça, ainda não está claro se o plano vai mesmo ser implementado e quais serão os resultados dessa eleição geral.

Até por isso, como a gente vem repetindo há muitos meses, por enquanto ninguém sabe qual será o final dessa história toda.