Plenário da Câmara dá espaço para discussões sobre tratamento dado às fake news

  • Por Jovem Pan
  • 20/06/2018 09h13
MorguefileDurante a audiência, os oradores lembraram a influência e o papel das fake news durante a corrida presidencial nos Estados Unidos, em 2016

O plenário da Câmara dos Deputados deu espaço para discussões sobre o tratamento dado às notícias falsas, conhecidas como fake news.

O presidente da Casa, Rodrigo Maia, não esteve presente na audiência, mas enviou um discurso, lido pelo deputado Hildo Rocha. Nele, defendeu um novo marco legal para combater as fake news, dizendo que “a internet não pode ser espaço de vácuo legal” ou “terra sem lei”.

A principal preocupação dos parlamentares é com as eleições deste ano.

Durante a audiência, os oradores lembraram a influência e o papel das fake news durante a corrida presidencial nos Estados Unidos, em 2016.

Thiago Tavares, do Conselho Consultivo sobre internet e eleições do TSE, ressaltou que há muitos projetos sobre fake news em tramitação no Congresso, mas não concordou com o conteúdo.

A gerente de Políticas Públicas do Facebook no Brasil, Mônica Rosina, também acredita que o dinheiro é o principal fator que move notícias falsas na internet.

Mônica Rosina informou que o Facebook contratou 15 mil funcionários para a checagem de contas falsas e que mais de seis milhões já foram removidas. A rede social também lançou uma plataforma de checagem em parceria com a agência francesa AFP, a Agência Lupa e a Aos Fatos.

Para o presidente da Associação Brasileira de Rádio e Televisão, Márcio Novaes, neste momento o jornalismo com credibilidade é essencial.

Durante a sessão, além dos parlamentares, também participaram jornalistas, youtubers e representantes de entidades que combatem as fake news.

*Informações da repórter Marcella Lourenzetto