Polícia Militar afasta PM que cometeu injúria racial contra policial civil negro

  • Por Jovem Pan
  • 12/06/2020 06h15 - Atualizado em 12/06/2020 07h52
GILVAN DE SOUZA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDOTodos os policiais militares que presenciaram a ação estão sendo investigados pela Corregedoria. O PM que agrediu o policial civil foi afastado dos serviços operacionais

A Polícia Militar de São Paulo afastou um PM que agrediu um policial civil negro durante uma abordagem no centro da capital. O caso aconteceu na última segunda-feira (7), em frente a uma delegacia, próxima ao Mercado Municipal de São Paulo.

Segundo o boletim de ocorrência, o policial civil estava em frente à Divisão Especializada de Atendimento ao Turista, delegacia em que trabalha, quando viu três jovens montados em bicicletas e suspeitou que eles poderiam estar furtando vítimas na região.

O policial, então, abordou os jovens, que estavam sem documentos. Nesse momento, um dos suspeitos contou ao policial que havia sido processado por crime contra o patrimônio anos atrás.

Para fazer uma averiguação dos fatos, o policial atravessou a rua e conduziu os jovens para a delegacia, onde iria consultar os antecedentes criminais dos três. Enquanto ainda estava na calçada, surgiram policiais militares em quatro motocicletas da corporação.

Um dos PMs, então, jogou a roda dianteira da moto contra a perna do policial civil, que gritou ser policial enquanto usava uma mão para segurar o suspeito e a outra para mostrar o distintivo.

Ainda segundo o boletim de ocorrência, o PM desceu da moto, empurrou o policial civil e deu uma cabeçada nele usando o capacete da Polícia Militar. Nesse momento, o agente perguntou se o PM não estava vendo que ele também era policial.

Mesmo assim, o PM respondeu “que policial o que”, “vai, negão, deita no chão”. Na sequência, os policiais gritaram que o homem era realmente policial e foram apartar a abordagem.

Segundo a Polícia Civil, “ao verificar a chegada de outros policiais civis da delegacia, a atitude do PM foi de retirar a sua tarjeta de identificação, para ter seu nome anotado e, em seguida, subiu novamente em sua motocicleta e saiu do local. Alguns segundos depois, os outros três PMs também foram embora”.

Todos os presentes no momento acabaram virando testemunhas da confusão, inclusive os três jovens suspeitos. O delegado Marcos Paulo Cavalcante da Silva escreveu uma crítica ao policial no boletim de ocorrência.

“Se um policial, devidamente identificado, em frente a uma unidade oficial do estado, na região central de São Paulo, foi vítima de abuso, o que pode acontecer a um cidadão abordado nos rincões da cidade? No período noturno? Sem nenhuma testemunha?”

Todos os policiais militares que presenciaram a ação estão sendo investigados pela Corregedoria. O PM que agrediu o policial civil foi afastado dos serviços operacionais. O caso está sendo investigado pelo primeiro Distrito Policial da Sé.

*Com informações do repórter Leonardo Martins