“Poder Legislativo sai menor desse episódio”, diz advogado após cassação do mandato de Maluf

  • Por Jovem Pan
  • 23/08/2018 07h24 - Atualizado em 23/08/2018 09h38
Agencia BrasilO advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, considerou que a Câmara ficou menor com a decisão

Defesa critica interferência do Supremo Tribunal Federal na cassação do mandato do agora ex-deputado Paulo Maluf.

A Mesa Diretora da Câmara decidiu, por unanimidade, pela perda de mandato do parlamentar do PP.

O corregedor da Casa, Evandro Gussi (PV-SP), ressaltou que caberia ao plenário a decisão, mas a Câmara não poderia descumprir determinação do Supremo.

O deputado destacou o constrangimento institucional da sentença penal condenatória transitada em julgado. A Constituição é clara no sentido da decisão pelo plenário da Casa.

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, considerou que a Câmara ficou menor com a decisão.

Paulo Maluf foi condenado pela Primeira Turma do STF por lavagem de dinheiro em maio de 2017. O ex-prefeito de São Paulo começou a cumprir sua pena em dezembro do ano passado, no Complexo da Papuda, em Brasília. Mas em março de 2018, o ministro Dias Toffoli concedeu a prisão domiciliar.

Maluf foi afastado do cargo em fevereiro de 2018 por decisão do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Agora o suplente Junji Abe (MDB) será efetivado na Casa.

*Informações do repórter Marcelo Mattos