Polícia Civil de Santo André esclarece caso de homicídio seguido de esquartejamento

  • Por Jovem Pan
  • 27/06/2018 06h21 - Atualizado em 27/06/2018 09h49
Reprodução/Câmera de Segurança Segundo a polícia, dois colegas da vítima, Edson Braga, de 51 anos, e André Luiz Paulo, de 31, são os acusados de cometerem o crime

Uma briga banal, motivada pelo consumo excessivo de álcool após o jogo do Brasil contra a Costa Rica pela Copa do Mundo na Rússia. Esse foi o motivo do assassinato e esquartejamento do pedreiro José Leílson Vieira da Silva, de 49 anos.

Segundo a polícia, dois colegas da vítima, Edson Braga, de 51 anos, e André Luiz Paulo, de 31, são os acusados de cometerem o crime.

A Polícia disse que os pedreiros presos usaram uma marreta e um serrote para cometer o crime. Segundo o delegado do setor de homicídios da polícia de Santo André, Filipe de Morais, o carrinho de mão usado para abandonar o corpo era instrumento de trabalho dos acusados.

O vídeo de uma câmera de segurança mostra um homem encapuzado, acompanhado de um cachorro, levando um carrinho de mão com o corpo de José Leílson, na sexta-feira.

Spike, o cão de André, que abandona o cadáver, é manco e essa característica fez os investigadores chegarem à casa onde tudo ocorreu menos de 24 horas depois do crime.

Segundo o delegado Filipe, a discussão não teve motivo aparente e, os indiciados dizem que José Leílson havia ficado agressivo e tentado usar uma barra de ferro para agredi-los. Assim, dizem os acusados, que acabaram usando a marreta para se defenderem.

Quando notaram que José Leílson estava morto, pediram um serrote emprestado a um vizinho e cortaram o corpo em seis partes para se livrarem dele e da prisão.

Edson e André foram indiciados por homicídio, destruição, subtração e ocultação de cadáver. Eles seguem presos na cadeia de Santo André após a justiça decretar prisão temporária de ambos.

*Informações do repórter Fernando Martins