Polícia Civil do RJ prende PM que fazia segurança particular de miliciano

Ação foi realizada em uma boate da Barra da Tijuca, na zona oeste da capital fluminense; armas e munições também foram apreendidas

  • Por Jovem Pan
  • 20/05/2022 07h01 - Atualizado em 20/05/2022 09h58
Tânia Rego/Arquivo/Agência Brasil Polícia Civil Agentes da Polícia Civil do Rio de Janeiro prenderam um PM acusado de fazer segurança particular de um miliciano

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu na última quinta-feira, 19, o policial militar Marcos Roberto França Júnior. A acusação contra ele é de que estava fazendo a segurança particular de um miliciano. O PM foi preso em uma boate na Barra da Tijuca, na zona oeste da capital fluminense. O miliciano Leandro Xavier da Silva, de 28 anos, conhecido como playboy de Curicica, também estava no estabelecimento no momento da prisão, mas conseguiu fugir da abordagem. Segundo os agentes da Polícia Civil, Marcos Roberto chegou a fazer vários disparos de arma de fogo dentro da boate para criar uma confusão que contribuísse na fuga do miliciano, que tem forte influência na zona oeste, entre Curicica, Terreirão, Muzema, Rio das Pedras. Ele seria uma espécie de braço direito de Luis Antônio da Silva Braga, o Zinho, chefe da maior milícia do Estado do Rio de Janeiro. Desde 2020, Zinho é apontado por vários crimes, homicídio qualificado, roubo, extorsão, tortura, recepção, formação de milícia privada e organização criminosa. Na operação que prendeu o PM também foram apreendidas quatro pistolas, dois revolveres, mais de 100 munições, carregadores de pistola, luneta, dois carregadores de fuzil, três granadas de efeito moral, entre outros itens.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga