Polícia Civil prende oito pessoas acusadas de praticar estupro contra crianças em SP

  • Por Jovem Pan
  • 09/11/2017 07h56 - Atualizado em 09/11/2017 11h50
Tiago Muniz/Jovem PanNa sede da Polícia Civil, no centro de São Paulo, os criminosos foram chegando um a um trazidos de vários bairros diferentes

A Polícia Civil prendeu ontem oito pessoas acusadas de cometer estupro em crianças, na capital paulista e no interior do Estado.

Na sede da Polícia Civil, no centro de São Paulo, os criminosos foram chegando um a um trazidos de vários bairros diferentes.

Um deles, a Polícia foi buscar na cidade de Limeira, a 150 km da capital.

Todos diziam que não sabiam porque estavam sendo presos ou do que estavam sendo acusados.

Pelo tempo que os crimes foram cometidos, eles até poderiam se esquecer mesmo do que fizeram. Como, por exemplo, o caso de um dos detidos, nesta quarta-feira, o Antônio Marcos da Costa, que dez anos atrás abusou da própria filha.

Ou o caso do Carlos Alves Bezerra, condenado a 25 anos de prisão por abusar, em 2010, das sobrinhas de 7 e 8 anos de idade.

Mas, mesmo com o passar dos anos a justiça e a polícia foram até a porta deles. Todos foram presos em casa.

O que a Polícia chamou de dia com o dever cumprido, como mesmo disse o Delegado Oswaldo Nico Gonçalves, que comandou a ação: “é um motivo que a gente sai do Departamento com a sensação de dever cumprido”.

Ivano Contini, um aposentado de 67 anos foi detido ontem na mesma operação, acusado de abusar de uma criança de 6 anos que morava no apartamento do lado do dele.

No mesmo bairro também foi preso o motorista de uma perua que abusou de duas crianças dentro da perua que ele levava elas todo dia para a escola.

Os 8 casos dos 8 presos chamam atenção porque, além da frieza, o criminoso sempre pode estar perto.

*Informações do repórter Caio Rocha