Polícia do DF identifica 145 grupos de WhatsApp com imagens de menores de idade em atos sexuais

  • Por Jovem Pan
  • 19/10/2018 07h58
Creative Commons/MicrosiervosOs dados foram apresentados nesta quinta-feira (18) pelo presidente da CPI da Pedofilia, o deputado distrital Rodrigo Delmasso (PRB).

Uma rede de abuso sexual de adolescentes por meio da troca e armazenamento de mensagens foi descoberta no Distrito Federal. A CPI da Pedofilia, da Câmara Legislativa do DF, identificou, através de delegados da Polícia Civil, 145 grupos de WhatsApp, com cerca de 200 membros cada um, com imagens de menores de idade em atos sexuais.

Os dados foram apresentados nesta quinta-feira (18) pelo presidente da CPI, o deputado distrital Rodrigo Delmasso (PRB).

A Comissão Parlamentar de Inquérito atua junto com a Operação Erástes, há seis meses. No início do mês, a Polícia Civil apreendeu 15 celulares de administradores desses grupos. Os aparelhos vão passar por perícia para avaliar o crime.

Eventuais pedidos de prisão vão ser feitos depois da perícia. As investigações também apontaram aliciamento, com troca de apoio financeiro a mulheres por serviço de acompanhante.

O relatório final da comissão deve ficar pronto em dezembro. O deputado Rodrigo Delmasso destacou que a pedofilia ainda é um crime pouco denunciado.

A CPI ainda solicitou uma auditoria do Tribunal de Contas do Distrito Federal sobre a verba para políticas voltadas à infância e adolescência. O presidente da comissão acusa o governo local de ter cortado recursos, o que não seria permitido.

*Informações do repórter Levy Guimarães