Polícia encontra arma que pode ter usada na execução de advogado, diz TV

  • Por Jovem Pan
  • 21/06/2019 10h12
Flickr O advogado foi alvejado na saída de um restaurante japonês na região de Santo Amaro

A Polícia Civil de São Paulo encontrou nesta quinta-feira (20) uma arma que pode ter sido usada para matar o advogado Francisco Assis Henrique Neto Rocha, de 57 anos. Ele foi executado na noite de quarta-feira (19), num posto de gasolina perto de sua casa.

A arma foi encontrada atrás do muro de uma faculdade na Zona Sul de São Paulo e a polícia acredita que ela tenha sido abandonada logo depois do ataque, na Avenida Washington Luis, em Santo Amaro.

A vítima mora no bairro e tinha o costume de, uma vez por semana, jantar num restaurante japonês que fica dentro do posto. Os assassinos sabiam e foram pegá-lo.

Enquanto ele jantava, os criminosos ficaram esperando. Quando o advogado deixou o restaurante e abriu a porta do carro, um homem atirou várias vezes contra ele. A informação de uma testemunha reforça a hipótese de crime encomendado.

A polícia diz que os bandidos cortaram caminho pelo estacionamento de uma lanchonete, entraram numa rua paralela e fugiram. O carro foi gravado por câmeras de segurança passando pelas ruas de Santo Amaro

Ele foi abandonado a um quilômetro e meio do posto, estava parcialmente queimado e com as portas abertas.

Francisco era um advogado conhecido na Zona Sul de São Paulo, atuou na área administrativa e na defesa de alguns traficantes, segundo a polícia. Também foi defensor do atual prefeito de Embu das Artes, Ney Santos em processos criminais.

A polícia suspeita que tenha ocorrido uma vingança porque o advogado cobrava dívidas de clientes.

*Com informações do repórter Victor Moraes