Polícia Federal em SP cumpre mandados em endereços ligados ao vice da Guiné-Equatorial

  • Por Jovem Pan
  • 10/10/2018 07h48 - Atualizado em 10/10/2018 07h53
ReproduçãoFoi determinado ainda, pela Justiça Federal em São Paulo, o bloqueio de seis carros do vice-presidente da Guiné-Equatorial

A Polícia Federal em São Paulo cumpre na manhã desta quarta-feira (10) sete mandados de busca e apreensão em endereços relacionados ao vice-presidente da Guiné-Equatorial, Teodoro Obiang Mang. A Operação Salvo Conduto investiga a lavagem de dinheiro. São cumpridos mandados nas cidades de São Paulo, Hortolândia, Jundiaí e Distrito Federal, todos expedidos, a pedido da PF, pela 6ª Vara Criminal da Justiça Federal em São Paulo.

O alvo é uma cobertura de mais de mil metros quadrados localizada na Rua Haddock Lobo, nos Jardins, bairro nobre da capital paulista.

Os agentes também estão em outros seus endereços em São Paulo, um em Campinas e outro em Brasília.

Foi determinado ainda, pela Justiça Federal em São Paulo, o bloqueio de sete carros do vice-presidente, entre eles uma Lamborghini, uma Maserati, um Porsche, uma Mercedes-Benz, um Fusion e uma Santa Fé.

A operação é um desdobramento do inquérito aberto em setembro após auditores da Receita Federal e policiais federais apreenderem quase US$ 1,5 milhão em dinheiro e 21 relógios avaliados em US$ 15 milhões.

A PF possui indícios de que os bens adquiridos por Obiang no Brasil tenham relações com lavagem de dinheiro. A cobertura seria um exemplo, já que ela está avaliada em R$ 70 milhões, mas está registrada em nome de uma empresa no interior de SP, que declarou ter capital social de R$ 10 mil.

A cobertura está alugada para a Embaixada da Guiné-Equatorial no Brasil, mas está inabitada desde uma reforma que afetou o apartamento de baixo.

São apurados, portanto, dois atos de lavagem de dinheiro, o primeiro relativo à aquisição, por meio de interposta pessoa, de um apartamento de luxo e o segundo relacionado à ocultação de movimentação de bens e valores ao entrar Brasil.

As investigações prosseguem com a colheita de depoimentos, análise do material apreendido e pedido de cooperação jurídica internacional, para esclarecer a participação de todos os envolvidos. O crime de lavagem de dinheiro tem penas que variam de 3 a 10 anos de reclusão.