Polícia prende terceiro suspeito de matar família no ABC

  • Por Jovem Pan
  • 04/02/2020 06h42 - Atualizado em 04/02/2020 08h34
MARCELO GONCALVES/SIGMAPRESS/ESTADÃO CONTEÚDOAna Flávia Gonçalves, que está presa temporariamente após a morte dos pais e do irmão

A Polícia Civil pediu a prisão de um homem suspeito de participar do assassinato de uma família em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Juliano de Oliveira Ramos Junior é suspeito de ter executado Flaviana Gonçalves, o marido dela Romuyuki Gonçalves e o filho, Juan Victor Gonçalves, de 15 anos.

Os corpos foram encontrados carbonizados no carro da família. Juliano Oliveira é primo de Carina Ramos, de 31 anos, também suspeita de ter planejado o crime. A esposa dela, filha de Flaviana e Romuyuki, Ana Flávia Gonçalves, de 24, também é suspeita. As duas estão presas presas temporariamente desde a semana passada. O juiz justificou justificou a decisão após um novo depoimento dado por Carina. Ela diz que estava junto com Ana Flávia e a família, que todos foram vítimas de um latrocínio, que é um roubo seguido de morte.

Segundo o irmão de Flaviana, Flávio de Menezes, a relação entre a família era conturbada. “Até um período era tranquila, depois de um período passou a ter uma mudança de personalidade, através do relacionamento com a Carina.”

Na noite do crime, o carro de Ana Flávia entra e sai do prédio da família mais de uma vez. À 1h13, Carina aparece de bermudas segurando um capacete e alguém passa atrás empurrando uma moto. Um minuto depois, saí o carro de Ana Flávia e o carro da mãe dela. A casa da família foi encontrada toda revirada pela polícia.

Segundo o delegado Paul Henry Bozon, os primeiros depoimentos de Ana e Carina são contraditórios. “A versão inicialmente apresentada indica falta com a verdade, mas a gente está investigando. Não adianta fazer pré-julgamento”.

A polícia tentou ouvir Ana Flávia e Carina novamente nesta segunda-feira, mas as duas ficaram em silêncio. A defesa nega envolvimento das duas no crime e diz que elas são vão falar no durante o julgamento.

* Com informações do repórter Leonardo Martins