Polícia terá 15 mil agentes nas ruas por dia durante o Carnaval

  • Por Jovem Pan
  • 17/02/2020 09h01
HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO CONTEÚDOPré-carnaval na Capital arrastou multidões durante o fim de semana

O comando da Polícia Militar de São Paulo está otimista com a operação montada para dar suporte ao carnaval do Estado. O comandante-Geral da Polícia Militar, Coronel Marcelo Vieira Salles informou, em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, que o efetivo foi reforçado para o acompanhamento do evento, que deve movimentar mais de 17 milhões de pessoas em todo o Estado. 

“Estaremos com mais de 15 mil policiais atuando por dia, e postos com PMs, policiais civis e técnico científicos acompanhando o evento. Já trouxe resultados. Mas a PM está para servir e proteger, nosso maior desafio é servir e proteger quem escolheu São Paulo como ponto de diversão neste carnaval”, comenta. 

O comandante falou sobre os números do último fim de semana, quando se iniciou o pré-carnaval na Capital. “São abusados [os criminosos], mas a polícia está presente. Tivemos 413 presos em flagrante e procurados da justiça recapturados. Uma resposta do Estado para esse grande evento que é o carnaval”, comentou.

As operações paralelas, como Operação Verão e blitze nas ruas para a fiscalização de motoristas que bebem e dirigem permanecem acontecendo durante o feriado com um reforço. Segundo o Comandante Vieira Salles, já é possível notar o aumento das ocorrências por conta da maior fiscalização. “Em 2019, no primeiro fim de semana pré-carnaval, surpreendemos 314 usuários das vias que se recusaram de fazer o etilômetro [bafômetro]. Nesse fim de semana, foram 820. Por que? Fiscalização. O usuário tem que saber que ele pode vir, mas há controle, há fiscalização”. 

Ao todo, serão cerca de 2.815 eventos com atuação das polícias em São Paulo. 

Com relação aos recorrentes roubos de celulares nos blocos de carnaval, o comandante Vieira Salles pondera que o cidadão deve tomar cuidado sem deixar de se divertir. “A pessoa tem o direito de utilizar o seu equipamento, e cabe ao poder público prover a segurança. Eu jamais orientaria qualquer coisa nesse sentido, utilize sim. Mas com a prevenção primária, aqueles cuidados. O primeiro interessado em proteger o patrimônio é o cidadão, então ele toma suas providências. Não coloca o celular no bolso de trás, toma cuidado, olha ao redor. A gente sabe que existem oportunismos”, alerta. 

Ele pede para que as pessoas fiquem atentas à movimentação ao redor, para reduzir os riscos de roubo e furto, e pede para que denunciem sinais suspeitos. “Vai fazer a foto, tome cuidado com o que está ocorrendo. Olhar ao redor e se divertir. Identificando alguém com comportamento diferente, de oportunismo, procure um dos 15 mil policiais. Nosso papel é servir e proteger”

Ele tranquiliza os turistas, e se diz otimista para o trabalho dos agentes durante os dias de folia. “Eu falo com tranquilidade. Quem vier a São Paulo, nós fizemos um sistema robusto. Ano passado, recebemos 12 milhões de pessoas. Esse ano, 15 milhões na cidade e 17 no Estado. Ao final, quero falar com vocês e fazer um relato bacana, de um trabalho sério feito a várias mãos, Estado e município, neste evento que movimenta a economia. A cidade está bonita, os restaurantes lotados, movimenta a economia e São Paulo tem a obrigação de prover a segurança. Estou entusiasmado, os resultados do fim de semana foram muito bons”, completa. 

Berrini

Neste pré-carnaval, porém, a maior intercorrência foi registrada na Berrini. Segundo informações da corporação, um agente da polícia civil reagiu a um assalto, e cinco pessoas ficaram feridas.

De acordo com o Comandante Vieira Salles, o inquérito foi aberto e o caso já está sob investigação. “O inquérito foi instaurado, é a forma de registrar o fato e depois vai ser colocado para apreciação do Ministério Público, se não for arquivado. Temos que esperar a apuração, mas as primeiras informações são de que o policial foi vítima de roubo. Não vou fazer nenhum tipo de valor antecipado, mas está sendo apurado e a resposta será dada. Vamos aguardar”.