Ao menos 800 policiais de São Paulo estão afastados por suspeita da Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 15/05/2020 06h16
Divulgação/SSPO número corresponde a 0,7% do total do efetivo, que conta com mais de 112 mil profissionais

A Segurança Pública de São Paulo segue tentando controlar o impacto da pandemia da Covid-19 nas forças policiais. Os dados da Secretaria da Segurança Pública do Estado apontam que ao menos 800 policiais civis e militares estão afastados dos serviços sob suspeita de terem contraído a doença.

O número corresponde a 0,7% do total do efetivo, que conta com mais de 112 mil profissionais. A Jovem Pan apurou que, até o momento, seis policiais morreram com o diagnóstico confirmado de contaminação pelo novo coronavírus.

Como a Covid-19 ainda avança no Estado, o epicentro da doença no Brasil, o professor da Fundação Getúlio Vargas e especialista em Segurança Pública, Rafael Alcadipani, diz que o governo tem que permanecer em alerta.

“A polícia de Nova York, por exemplo, em abril, deve 20% dos seus policiais afastados. Isso significa que ainda em São Paulo os números podem crescer muito e o cenário pode piorar bastante. A grande contaminação de policiais são pessoas que estão na linha de frente pela Covid-19.”

Em entrevista à Jovem Pan, a presidente do sindicato dos delegados de polícia de São Paulo, Raquel Gallinati, reclama da falta de equipamentos de proteção para os policiais civis.

“Muitas vezes, em alguns lugares até mesmo não receberam por uma falta de protocolo realmente. Houve muita boa vontade dos comerciantes locais, empresários e até os próprios policiais que se revesaram, fizeram vaquinhas, e conseguiram adquirir essas máscaras.”

Na quarta-feira (13), a Secretaria da Segurança Pública começou a cadastrar Policiais Técnico-Científicos para testagem do coronavírus. Os policiais que trabalham na cidade de São Paulo e até cinco familiares, que morem na mesma residência, poderão fazer o exame.

A Secretaria da Segurança Pública diz que “segue rigorosamente as orientações do Comitê de Contingência do Coronavírus e ressalta que todo policial com suspeita ou diagnóstico da doença é imediatamente afastado das funções e acompanhado por profissionais de saúde”.

*Com informações do repórter Leonardo Martins