População entendeu que feriado antecipado é para ficar em casa, diz secretário João Octaviano

  • Por Jovem Pan
  • 21/05/2020 08h41 - Atualizado em 21/05/2020 09h10
GUILHERME STUTZ/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOJoão Octaviano ressaltou que, apesar das paralisações, não há bloqueios em rodovias porque são elas que garantem o abastecimento das cidades

O secretário estadual de Logística e Transportes de São Paulo, João Octaviano Machado Neto, acredita que a população entendeu o recado sobre o feriado antecipado adotado em diversos municípios do Estado.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, ele relatou que o primeiro dia de descanso registrou uma redução importante do fluxo de veículos no sistema Anchieta-Imigrantes e que o único congestionamento visto foi por conta da barreira sanitária adotada por algumas cidades.

“De uma maneira geral, o sistema todo ficou abaixo. Estamos monitorando e aguardando as próximas medições ao longo do dia, mas ao que tudo indica as pessoas estão ficando em casa. Entenderam que não é para passear, mas sim respeitar o isolamento e combater a propagação do vírus.”

João Octaviano ressaltou que, apesar das paralisações, não há bloqueios em rodovias porque são elas que garantem o abastecimento das cidades e o acesso ao Porto de Santos, que não parou de funcionar. Ele destacou ainda que não há risco de desabastecimento.

“O que acontecem são barreiras sanitárias dentro dos municípios, não nas vias, o que é previsto pela Anvisa. Quanto a Polícia, o trabalho que está sendo feito é o de fiscalização regular, por conta de embriaguez ou falta de documentação. Não há bloqueio físico.”

Quanto às balsas, o secretário reforçou que o número de embarcações diminuíram, mas o serviço funciona para trabalhadores da saúde e da segurança — além dos serviços essenciais. “Não há interesse em oferecer viagens para turismo. Estamos trabalhando com o limite reduzido para garantir funcionamento.”