Popularidade de Piñera despenca após protestos

  • Por Jovem Pan
  • 17/01/2020 08h20 - Atualizado em 17/01/2020 08h23
EFEO Chile vive uma intensa onda de protestos desde outubro de 2019; os itens mais reivindicados pela população são aposentadoria, saúde e educação

A popularidade do presidente do Chile, Sebastian Piñera, caiu para o histórico patamar de 6% — mesmo após o anúncio de uma ampla reforma da previdência. A pesquisa do Centro de Estudos Públicos mostrou que o apoio ao presidente conservador diminuiu 19 pontos comparado aos levantamentos anteriores.

A rejeição subiu 32 pontos percentuais e chegou a 82%.

O Chile vive uma intensa onda de protestos desde outubro do ano passado. Os itens mais reivindicados pela população são aposentadoria, saúde e educação.

Mais da metade dos entrevistados mostraram apoio às manifestações e 64% consideraram que a polícia violou os direitos humanos.

Em uma medida para tentar parar a queda na popularidade, Sebastian Piñera anunciou nesta quarta-feira (15) mudanças no sistema de aposentadoria. A proposta de aumentar as contribuições dos empregadores em 6% pode fazer com que mais de 1 milhão de chilenos sejam beneficiados.

Os protestos já deixaram 29 mortos e obrigaram o governo a convocar um plebiscito no qual será decidido se deve ou não ser alterada a Constituição do país.

*Com informações da repórter Livia Fernanda