Por análise do TCU, leilão de distribuidoras da Eletrobras deve ser adiado

  • Por Jovem Pan
  • 18/04/2018 06h28
DivulgaçãoNesta terça-feira (17), os ministros de Minas e Energia, Fazenda e Planejamento estiveram no TCU, para tentar agilizar a discussão

O Governo terá que adiar o leilão das seis distribuidoras da Eletrobras inicialmente marcado para o dia 21 de maio.

O ministro do Tribunal de Contas da União, José Múcio, explicou o TCU ainda não concluiu a análise do edital divulgado pelo Governo. O problema foi que o Ministério Público fez uma série de questionamentos.

Nesta terça-feira (17), os ministros de Minas e Energia, Fazenda e Planejamento estiveram no TCU, para tentar agilizar a discussão.

A ideia do Governo é vender as empresas Boa Vista Energia em Roraima, Centrais Elétricas de Rondônia, Companhia de Eletricidade do Acre, Companhia Energética de Alagoas, Companhia Energética do Piauí e Amazonas Distribuidora de Energia.

O ministro José Múcio já avisou que vai propor a aprovação da venda, uma vez que as distribuidoras só dão prejuízo para a Eletrobras. Hoje as dívidas das Distribuidoras chegam a quase R$ 20 bilhões.

No Palácio do Planalto, o Governo ainda tenta convencer as lideranças na Câmara da importância da privatização da Eletrobras.

Ontem, o presidente Michel Temer voltou a se reunir com os parlamentares, mas as negociações em nada evoluíram. O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, admitiu que o adiamento do leilão aumenta as dificuldades enfrentadas pelo Governo: “tudo que neste momento adia causa diiculdades. Mas dificuldades existem para serem superadas”.

O Planalto trabalha ainda para aprovação da reoneração. Otimista como sempre, o ministro disse, apesar de toda a sinalização contrária que vem do Congresso, que a reoneração poderá começar a ser aprovada em maio.

*Informações da repórter Luciana Verdolin