Por conta de desgaste, Centrão não vê condições para aprovar reforma da Previdência

  • Por Jovem Pan
  • 10/08/2017 06h13 - Atualizado em 10/08/2017 11h18
Luis Macedo / Câmara dos DeputadosO líder do PP na Câmara, o deputado Arthur Lira, disse que a reforma da Previdência é importante, mas que não há clima para apreciar a matéria neste momento

Partidos da base do Governo se posicionam contra a votação da reforma da Previdência. Líderes do PR, PP e PSD, os principais partidos do chamado “Centrão”, dizem que não há condições de aprovar a reforma, ainda mais depois do desgaste de terem votado contra o prosseguimento da denúncia contra o presidente Michel Temer.

O líder do PP na Câmara, o deputado Arthur Lira, disse que a reforma da Previdência é importante, mas que não há clima para apreciar a matéria neste momento: “a Previdência vai trazer problemas para o Brasil a médio e curto prazo, mas não é o momento. Não entendo que isso esteja ainda no clamor popular. A imprensa precisa ajudar a esclarecer essa situação. Enquanto isso não acontecer, o nosso partido não discutirá a Previdência”.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que a posição do Centrão é absolutamente normal: “óbvio, deputados votaram com o Governo, há desgaste natural com a sociedade. E isso precisa ser composto ao longo das semanas. Eu entendo as posições dos líderes”.

Juntas, as bancas de PP, PR e PSD somam 123 deputados. Na votação da denúncia, os três partidos deram 87 dos 263 votos a favor de Temer. Para aprovar a reforma da Previdência, o Governo precisa de 308 votos.

*Informações do repórter Arthur Scotti