Porta-voz da Presidência tenta minimizar especulações sobre ‘tsunami’ antecipado por Bolsonaro

Rêgo Barros negou que o tsunami seria a quebra de sigilo de Flavio Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 14/05/2019 07h22
Wilson Dias/Agência BrasilPara esta terça-feira (14), a expectativa é de que o presidente faça um pronunciamento que será veiculado nas redes sociais em defesa do decreto de armas

Depois de o presidente Jair Bolsonaro afirmar que o país passaria por um tsunami nessa semana, o porta-voz da Presidência, Rêgo Barros, tentou minimizar as declarações e especulações em torno de qual problema o presidente estaria falando.

Nesta segunda-feira (13), o site O Antagonista sinalizou que o problema poderia ser uma possível demissão do ministro da Secretaria de Governo, general Santos Cruz, que foi alvo de ataques na semana passada do escritor Olavo de Carvalho.

O porta-voz não desmentiu nem confirmou. O vice-presidente, Hamilton Mourão, saiu em defesa do ministro.

Uma outra tese do tal tsunami seria a notícia da quebra de sigilo bancário do filho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro. Mais uma vez o porta-voz desmentiu a informação.

Para esta terça-feira (14), a expectativa é de que o presidente faça um pronunciamento que será veiculado nas redes sociais em defesa do decreto de armas.

Na noite desta terça-feira, o presidente embarca para os Estados Unidos. Vai receber em Dallas, no Texas, o prêmio de personalidade do ano. Durante a visita, vai se encontrar com o ex-presidente norte-americano, George W. Bush.

Na quinta-feira à noite (16), logo depois da live nas redes sociais, o presidente embarca de volta ao Brasil onde deverá desembarcar na sexta-feira pela manhã.

*Informações da repórter Luciana Verdolin