Portugal vai investigar se tio de Guaidó transportou explosivos em avião da TAP

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2020 09h02
EFEJuán Marques, tio de Guaidó, viajava acompanhado do sobrinho depois de uma turnê pelos Estados Unidos e pela Europa

O Governo de Portugal vai investigar a principal empresa aérea do país, a TAP, depois que a Venezuela acusou a companhia de permitir que um familiar do opositor, Juan Guaidó, carregasse explosivos a bordo de um avião.

Juán Marques, tio de Guaidó, viajava acompanhado do sobrinho depois de uma turnê pelos Estados Unidos e pela Europa. De acordo com o presidente da Assembleia Constituinte, Diosdado Cabello, foi preso na chegada à Venezuela por portar explosivos escondidos em vários objetos.

Cabello relata que se tratava do explosivo sintético C4.

Ele ainda afirma que o tio de Guaidó também carregava explosivos em cápsulas de perfume, um colete à prova de balas e um pendrive — onde estariam armazenados supostos planos de ataque.

Cabello também acusou a TAP de violar padrões internacionais por permitir o embarque de explosivos e ocultar a identidade de Guaidó na lista de passageiros.

Durante uma viagem à Índia, o ministro das relações Exteriores de Portugal, Augusto Santos Silva, afirmou que as acusações Venezuelanas não fazem sentido.

*Com informações do repórter Renan Porto