Pré-candidatos podem começar vaquinhas virtuais nesta-terça-feira

  • Por Jovem Pan
  • 15/05/2018 07h34
Ana Volpe/SenadoVaquinha virtual será repassada ao candidato somente após a ratificação do TSE; empresa estão proibidas de contribuir

Pré-candidatos a todos os cargos nas eleições deste ano podem, a partir desta terça-feira (15), promover financiamento coletivo pela internet para arrecadar dinheiro visando as campanhas. As vaquinhas virtuais, chamadas de crowdfunding, duram até agosto, quando começam de fato as campanhas, e podem receber doações de qualquer pessoa.

O dinheiro vai ficar retido durante esse tempo com as empresas de financiamento coletivo e só vai ser liberado caso a candidatura seja confirmada com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em caso contrário, ele é devolvido aos doadores. Mas poucos candidatos a presidente da República se prepararam para fazer as vaquinhas a partir. Apenas Álvaro Dias, do Podemos, e João Amoêdo, do Partido Novo, já contrataram empresas de crowdfundig para começar a arrecadar já nesta terça.

Marina Silva, da Rede, vai fazer a vaquinha, mas só deve começar na semana que vem. A campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) contratou uma empresa para começar, mas ela ainda não teve o cadastro aprovado pelo TSE.

Já as coordenações de campanha do ex-presidente Lula (PT) e de Guilherme Boulos do (PSOL) ainda não decidiram se vão adotar o financiamento online. Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT) não vão usar o recurso.

O limite para doação pessoal é de 10% da própria renda no ano passado. Empresas estão proibidas de contribuir.

*Com informações do repórter Levy Guimarães