‘Precisamos de Senado mais transparente e que custe muito menos ao contribuinte’, defende Reguffe

  • Por Jovem Pan
  • 29/01/2019 09h40
Jonas Pereira/Agência SenadoCom a renúncia de privilégios, a economia de seu mandato foi de cerca de R$ 16,7 milhões

O senador pelo Distrito Federal José Reguffe (sem partido) lançou pelas redes sociais sua candidatura à presidência do Senado nesta segunda-feira (28).

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o senador negou que sua candidatura seja um protesto contra a de Renan Calheiros (MDB) e que acompanha os lançamentos dos nomes para a disputa, mas não vê “propostas ou compromissos”.

“Precisamos de Senado mais transparente e que custe muito menos ao contribuinte. O objetivo é colocar temas na agenda, como o custo do Senado ao contribuinte. O Senado brasileiro é uma das casas legislativas mais caras do mundo e não tem ninguém debatendo isso. Estou colocando um conjunto de propostas objetivas que reduziriam o custo do Senado”, explicou Reguffe.

Segundo ele, “isso não se muda com palavras, mas com atitudes, exemplos, cortando na carne”. O senador adotou todas as propostas sugeridas em seu gabinete. Com a renúncia de tais privilégios, a economia de seu mandato foi de cerca de R$ 16,7 milhões. “Se fosse seguida por outros 80 senadores daria mais de R$ 1,3 bilhão”, completou.

Ele esclareceu quais seriam suas propostas para atingir este objetivo. São elas: fim do salário extra para senadores, fim da verba indenizatória, fim dos carros oficiais, redução do número de assessores por gabinete, reduzir verba de pagamento de assessores, fim do plano de saúde vitalício a senadores e o fim da aposentadoria especial dos parlamentares.

Confira a entrevista completa com o senador José Reguffe: