‘É preciso parar de pensar em eleição’, diz Mourão a empresários

  • Por Jovem Pan
  • 15/05/2020 07h58 - Atualizado em 15/05/2020 08h02
Alan Santos / PRMourão defendeu a posição do presidente Jair Bolsonaro e lembrou que situação deficitária não é novidade

O vice-presidente, Hamilton Mourão, defende que é preciso parar de pensar nas eleições. “Vamos deixar as briguinhas. Vamos trabalhar, vamos chegar na próxima eleição, quem for candidato a população vai escolher. Vamos parar de pensar em eleição e vamos pensar mais no Brasil.”

Ele responsabilizou a imprensa, os governadores e os demais poderes pelo estrago institucional que está levando o país ao caos. Indústria de Base, Hamilton Mourão foi questionado sobre o plano Pró-Brasil e reconheceu que o governo não tem como bancar as obras de infraestrutura, mas poderia ter alguma capacidade.

O vice-presidente reconhece que o espaço é do setor privado, lembrou que os Estados Unidos e o Japão estão retirando investimentos da China, que o Brasil deve manter suas relações com o gigante asiático, mas precisa atrair novos mercados. “É a hora pra gente se apresentar como parceiro confiável. Aí o americano, pode trazer pra cá, pode trazer pra cá. Nós não vamos trair vocês, não vamos extorquir vocês.”

Sobre o coronavírus e a economia, Mourão defendeu a posição do presidente Jair Bolsonaro e lembrou que situação deficitária não é novidade, mas que a disputa política impediu políticas, como a carteira verde e amarela para ajudar a gerar empregos, e lembrou que os governadores autorizaram o carnaval.

“Países do Mercosul com baixíssimos índices de contaminação, totalmente extintos, e teve carnaval nesse países? Até agora ninguém colocou em discussão que nós fizemos um carnaval quando essa epidemia já estava no Brasil desde o final de janeiro.”

Hamilton Mourão citou ações do governo no crédito e manutenção da produção e também defendeu o decreto do presidente Jair Bolsonaro para abertura de salões de beleza e academia para facilitar o trabalho de pessoas que precisam ter renda.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos