Crise com venezuelanos: prefeita critica ‘inércia’ do Planalto

  • Por Jovem Pan
  • 22/08/2018 09h40 - Atualizado em 22/08/2018 09h45
Divulgação/PMDB“Tem de fazer algo agora. É o tipo de situação que não é resolvida com dinheiro”, disse Teresa Surita

Enquanto a situação continua se agravando em Roraima, a expectativa dos municípios do Estado é de que o Governo Federal intervenha para acelerar a interiorização dos venezuelanos que entram diariamente no País.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, a prefeita de Boa Vista, Teresa Surita, criticou a inércia do Governo e negou que tenha pedido dinheiro para melhorar a situação não só para os imigrantes, mas como para a população roraimense. “Tem de fazer algo agora. É o tipo de situação que não é resolvida com dinheiro”.

“A grande preocupação é que está havendo essa inércia, dificuldade, demora do Governo Federal em agir com ações concretas. Os brasileiros começam a perder seus direitos na cidade e essa onda de xenofobia e de querer ter de volta sua cidade, seus espaços, atendimento público, vai criando sentimento de revolta. O que todos falam aqui é ‘cadê o Governo federal?’ Precisamos ter condição de resolver esse problema que está com a gente”, disse.

A prefeita afirmou ainda que não há uma disputa entre Boa Vista e o governo estadual, mas que o Governo Federal deve tomar uma atitude. “Mas existe a dificuldade de o Governo federal resolver os problemas. E em época eleitoral vão se aproveitar da situação para fazer o discurso que as pessoas querem ouvir. O que existe hoje são de 500 a 800 pessoas entrando por dia. O Governo se propôs a fazer plano de ação que seria ordenamento da fronteira, abrigamento e interiorização. Terminaram o abrigamento agora, há um mês e meio, mas não existe a vacinação obrigatória, não foi colocado hospital de campanha na fronteira. Estamos já no 10º abrigo”, explicitou.

Sobre o envio de recursos, Surita reiterou que não espera dinheiro, mas a solução do problema.

A questão de verba, a prefeitura não espera R$ 90 milhões. O que eu peço é intervenção do Governo Federal para fazer a parte deles, que é a interiorização das pessoas e atendimento a todos, indistintamente de lado ser venezuelano ou brasileiro. Hoje temos atendimento no SUS, onde é reposto, e todo venezuelano que entra já faz seu registro. Temos vagas nas escolas, mas esgotou, nosso atendimento na saúde esgotou, estamos super sobrecarregados. É preciso dividir com o resto do Brasil, é assunto nacional e não só de Roraima”, finalizou.

Confira a entrevista completa com a prefeita de Boa Vista,Teresa Surita: