Prefeito de Guarulhos garante que retomada aconteceu ‘de forma responsável’

  • Por Jovem Pan
  • 13/06/2020 11h20 - Atualizado em 13/06/2020 11h21
Ananda Migliano/Estadão ConteúdoDa mesma forma que o resto do Estado, a indústria não teve as atividades paralisadas, bem como os serviços essenciais

O prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa, o Guti, avalia que o impacto da pandemia no orçamento do município será, até o fim do ano, entre 20% e 22%. A retomada das atividades na cidade teve início na sexta-feira (12), contrariando as ordens do governo estadual através do Plano São Paulo.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, Guti avaliou que Guarulhos “tem suas especificidades” e que a reabertura foi dada de forma responsável — baseada em números e critérios científicos.

Da mesma forma que o resto do Estado, a indústria não teve as atividades paralisadas durante a quarentena, bem como os serviços essenciais. Agora, o comércio de rua, shoppings e prestadores de serviço puderam reabrir as portas após quase três meses.

Para o comércio, o horário estipulado para funcionamento foi entre 10h e 16h. Os shoppings podem abrir entre 13h e 20h. Já os prestadores de serviço estão autorizados a trabalhar das 9h às 15h. Essa separação garante que o transporte público não gere aglomeração e tumultos.

Guti garantiu que a decisão pela reabertura aconteceu após a Prefeitura aumentar a capacidades dos leitos — agora, o município tem 76% das UTIs ocupadas. Um outro fator relevante foi a retomada da capital. As duas cidades tem 39 quilômetros de limite — onde um lado da rua é São Paulo e a outra é Guarulhos.

O prefeito, no entanto, ressalta que caso o Judiciário peça o fechamento novamente, como aconteceu em Diadema e em São Bernardo do Campo, ele vai obedecer. “A gente nunca pode garantir que não vai ter intervenção, mas temos números e estamos bem embasados. Se tiver alguma decisão contrária, vamos nos defender e tentar derrubar dentro da lei.”