Prefeito de Mariana diz que descomissionar barragens não é solução: ‘pode se tornar caos’

  • Por Jovem Pan
  • 30/01/2019 08h59 - Atualizado em 30/01/2019 09h00
Antonio Cruz/Agência BrasilDuarte Jr.: Vamos trazer outro problema social. Tem que ter um plano. Espero que essa decisão seja revista e se tenha certo cuidado

O presidente da Vale, Fabio Schvartsman, afirmou nesta terça-feira (29) que “descomissionará” todas as barragens no modelo montante, iguais a que rompeu em Brumadinho na última sexta-feira (25). “Descomissionadas significa que elas serão devolvidas à natureza”, explicou.

A “solução” da paralisação das atividades das barragens, entretanto, foi criticada pelo prefeito de Mariana, também em Minas Gerais, Duarte Jr. “O presidente da Vale disse que vai suspender as operações. Eu concordo, tem que suspender mesmo, a mineração tem que ser a seco, mas tem que tomar cuidado”, disse.

Mariana, hoje, depende somente da Vale quase 70%. Então, se não buscar diversificação, como buscar serviços essenciais? E o número de desempregados? Então, o anúncio da paralisação não é solução. Vamos trazer outro problema social. Tem que ter um plano. Espero que essa decisão seja revista e se tenha certo cuidado. Pode se tornar um caos para as cidades de Minas Gerais”, disse.

Vale lembrar que Mariana e Bento Rodrigues foram devastados pela lama decorrente do rompimento da barragem do Fundão, em 2015.

O prefeito fez questão de lembrar que nenhuma vida pode ser perdida por conta destes crimes ambientais, mas que é preciso uma garantia por parte do poder público de indenizar as prefeituras por receitas tributárias não recebidas.

Sobre o caso de Brumadinho, Duarte Jr foi categórico: “um filme de terror”. Para ele, há a certeza de que a cidade passará por um sofrimento tão grande quanto o de Mariana por conta das vidas perdidas. “E a certeza de que outras dificuldades virão na administração pública”.

Duarte Jr. voltou a criticar a Vale e disse que Mariana, por exemplo, ficou “totalmente enrolada pelas mineradoras”. Segundo o prefeito, a Vale afirma ter gastado R$ 4 bilhões para a recuperação da cidade, mas isso não é visto no reassentamento das famílias, que continuam morando de aluguel em apartamentos, e nem na entrega do distrito de Bento Rodrigues, que ainda está em processo de terraplanagem.

“Cada dia eles colocam uma pessoa para falar com você. Eles criaram uma forma onde estamos totalmente enrolados e não acontece benfeitoria aos atingidos. Não pode entender só as famílias, mas toda a cidade de Brumadinho vai sofrer com isso”, alertou.

A discussão sobre a segurança de barragens foi, inclusive, tema de projeto que passou pela Assembleia Legislativa do Estado, mas não passou em votação. Segundo Duarte Jr., “as mineradoras têm relação de muita proximidade com todas as pessoas em relação a projetos”.

“Não posso afirmar que alguém recebeu alguma coisa, mas deputado João Victor Xavier disse que houve pressão enorme das mineradoras. E o próprio presidente da AMIG (Associação de Municípios Mineradores de Minas Gerais) ligou para ele demonstrando que não era momento daquele projeto”, revelou o prefeito de Mariana.

Confira a entrevista completa com o prefeito de Mariana, Duarte Jr:

https://youtu.be/XnMSrR-WeQE