Prefeitura assume pagamento de auxílio-moradia às famílias do edifício que desabou

  • Por Jovem Pan
  • 15/05/2018 09h31
EFE/Fernando Bizerra Jr Auxílio-moradia pago às 114 famílias do Wilton Paes de Almeida será de R$ 1.200,00 no primeiro mês e R$ 400,00 nos outros 11 meses

Prefeitura de São Paulo assume pagamento de auxílio-moradia às famílias que  viviam no edifício que desabou no centro da cidade. Por um ano, o benefício será pago pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Governo do Estado (CDHU).

A partir do décimo terceiro mês, o município irá arcar com o auxílio para os moradores que estão desabrigados, até que uma solução seja definida. Pelo menos 114 famílias que moravam no edifício Wilton Paes de Almeida foram cadastradas para receber o benefício pago pela CDHU. O pagamento é de R$ 1.200,00 no primeiro mês e de R$ 400,00 por 11 meses.

O prefeito em exercício, Milton Leite, destaca que a decisão foi tomada após reunião com os secretários municipais. “A partir do 12º mês a municipalidade está assumindo esse compromisso até que estejam prontas as unidades disponibilizada às famílias”, declarou Leite.

De acordo com o prefeito em exercício, a verba para pagar o benefício sairá do orçamento de 2019 da Secretaria de Habitação.

O secretário da pasta, Fernando Chucre, adianta que serão analisados os casos de famílias que se dizem moradoras do prédio e não estão cadastradas. “Vai ser estudado caso a caso. A maioria das famílias estãos e apresentando como residentes do acidente”, disse Chucre.

Segundo o secretário, algumas pessoas se aproveitam desse tipo de situação para tirar vantagem.

As equipes da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social seguem na região onde ficava o edifício Wilton Paes de Almeida. Já o atendimento às famílias só será feito na Central de Habitação da Prefeitura de São Paulo, na avenida São João, 299.

A gestão municipal já iniciou as negociações com a União, proprietária do edifício, e a CDHU para definir o destino do terreno do prédio que desabou.

*Com informações da repórter Natacha Mazzaro