Prefeitura de SP espera levar cinco milhões de pessoas à Virada Cultural

O centro, como de costume, vai concentrar boa parte dos shows

  • Por Jovem Pan
  • 09/05/2019 07h13 - Atualizado em 09/05/2019 10h28
Leandro Martins / Milenar Imagem prefeito de São Paulo, Bruno Covas, afirmou que a Virada deste ano será simbólica em posicionar a cidade como a capital da cultura e ter lucro com isso

A cidade de São Paulo quer entrar literalmente para o livro dos recordes e levar cinco milhões de pessoas para a Virada Cultural deste ano. O evento será realizado entre os dias 18 e 19 de maio com 1,2 mil atrações em todas as regiões da capital paulista.

O centro, como de costume, vai concentrar boa parte dos shows, mas o secretário municipal de Cultura apostou em uma estratégia para prestigiar outros locais. Alê Youssef disse que alguns artistas vão se apresentar na região central num dia da Virada, e no outro vão para os bairros.

O Vale do Anhangabaú deve receber o palco principal da Virada, com apresentações de artistas que representam gêneros musicais bastante diversos. Estarão por lá o funk de Anitta, o sertanejo de Lucas Lucco, o gospel de Aline Barros, o rap de Criolo e a MPB do Ofertório, grupo da família Veloso.

O Metrô e a CPTM vão funcionar durante todo o evento e a SPTrans deve disponibilizar linhas extras durante a madrugada.

A PM e a GCM também devem atuar com efetivo reforçado; mesmo assim, o secretário de Cultura Alê Youssef, aposta na ocupação das ruas como principal medida de segurança.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, afirmou que a Virada deste ano será simbólica em posicionar a cidade como a capital da cultura e ter lucro com isso.

E a Paulista, que já estava integrada à Virada Cultural, vai ter uma presença ainda maior em 2019.

A avenida vai ficar as 24h do evento fechada para carros e aberta para os pedestres. O espaço vai ter várias atividades ao longo das instituições e museus e também no meio da rua mesmo, com projeções e até sessões de cinema.

*Informações do repórter Tiago Muniz