Prefeitura de Suzano realizará evento pela paz no sábado (13), mas ideia desagrada pais de alunos

  • Por Jovem Pan
  • 10/04/2019 06h54
Marivaldo Oliveira/Estadão ConteúdoO evento está marcado para este sábado, no Parque Max Feffer, mesmo local onde ocorreu o velório coletivo de cinco vítimas do atentado à escola Raul Brasil

A prefeitura de Suzano realiza no próximo sábado (13) um evento pela paz. A data marca um mês do massacre na Escola Estadual Raul Brasil, que terminou com a morte de dez pessoas.

Chamada de “Suzano pela Paz”, a celebração tem o objetivo de promover reflexão e compartilhar mensagens positivas com as famílias das vítimas. No entanto, a ideia não agradou a todos.

Um grupo de pais de alunos da Raul Brasil questionou se esse era o melhor momento para um evento festivo. De acordo com esses familiares, que preferiram não se identificar, a tragédia é muito recente, e crianças e professores ainda sofrem ao relembrar o ocorrido.

A Silviane Santanna, mãe de um aluno do 3º ano da Raul Brasil, disse não saber se a intenção da Prefeitura era fazer uma acolhida aos familiares das vítimas, mas afirmou que encarou a homenagem como uma falta de respeito.

O prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, contou que falou com autoridades da escola Raul Brasil durante a organização do encontro. Ele negou que seja uma festa.

De acordo com o prefeito, todas as celebrações do aniversário de 70 anos da cidade foram canceladas em respeito às vítimas da tragédia. Rodrigo Ashiuchi explicou que os artistas contratados não serão pagos com dinheiro público e afirmou que o encontro tem como objetivo propagar a paz.

O evento está marcado para este sábado, no Parque Max Feffer, mesmo local onde ocorreu o velório coletivo de cinco vítimas do atentado à escola Raul Brasil. Os portões serão abertos às 9h e fechado às 18h.

Além de áreas de lazer e uma feira gastronômica, artistas e personalidades farão apresentações. A Prefeitura vai disponibilizar rotas de ônibus especiais e gratuitas. Todos são convidados a vestir branco pela paz.

*Informações da repórter Marcella Lourenzetto