Prefeitura do Rio começar a recolher dependentes para internação compulsória

  • Por Jovem Pan
  • 06/09/2019 08h34 - Atualizado em 06/09/2019 10h06
Maurício Camargo/Estadão ConteúdoPessoas podem ficar internadas por até 90 dias

A Prefeitura do Rio de Janeiro, com o apoio da Guarda Municipal Metropolitana e o Corpo de Bombeiros, iniciou, nesta quinta-feira (5), uma espécie de recolhimento compulsório de usuários de drogas. O trabalho do programa Resgate Solidário começou pelo bairro de Copacabana.

Ao todo, foram recolhidas 20 pessoas: 16 homens e quatro mulheres. Cinco delas precisaram, inclusive, de atendimento médico, e foram encaminhadas para um hospital. Elas poderão ficar internadas sob tratamento de desintoxicação por até 90 dias.

Durante o curso desse tratamento, porém, se algum responsável legal ou parente do dependente requisitar  a liberação, a Prefeitura precisa atender. Há também programas de internação voluntária, com critérios relativamente parecidos: a principal diferença é que o próprio paciente pode requisitar a sua liberação do tratamento.

No mês passado, um morador de rua que estava sob o efeito de drogas esfaqueou e matou duas pessoas na região da Lagoa, um engenheiro elétrico e um professor de educação física. Na data, o homem foi baleado por policiais, levado ao hospital e agora está no sistema carcerário do Rio.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga