Prefeitura notifica empresa e cobra explicações após morte de jovem eletrocutado

  • Por Jovem Pan
  • 08/02/2018 07h57
Kevin David/Estadão Conteúdo A confirmação da causa da morte do jovem de 22 anos depende da conclusão do exame no equipamento instalado no poste da CET

No último domingo (04), o estudante Lucas Antônio Lacerda da Silva morreu eletrocutado após encostar em um poste, no centro de São Paulo.

Em nota oficial, divulgada nesta quarta-feira (07), a prefeitura disse que o Ilume e a Eletropaulo vistoriaram os locais onde a Dream Factory instalou câmeras de segurança.

O Departamento de Iluminação Pública informou ainda que no mesmo dia do ocorrido fez uma vistoria em todos os postes da rua Consolação. Segundo o órgão, foram encontrados 16 aparelhos com instalações irregulares. Todas as câmeras foram desenergizadas naquela mesma noite.

Em entrevista ao Portal G1, Arthur José Malvar de Azevedo, dono da GWA, empresa contratada pela Dream Factory para instalar as câmeras, disse que os equipamentos não energizaram o poste. Segundo ele, essa “gambiarra” não pertence à empresa.

O prefeito João Doria garantiu que a colocação das câmeras foi irregular.

A confirmação da causa da morte do jovem de 22 anos depende da conclusão do exame no equipamento instalado no poste da CET. E do resultado nos laudos feitos pela Polícia Técnico-Científica.

Confira a reportagem completa de Vinicius Custódio: