Prefeitura quer construir 1.400 kms de ciclovias nos próximos 10 anos

  • Por Jovem Pan
  • 04/08/2018 08h48 - Atualizado em 04/08/2018 08h53
swaldo Corneti/Fotos Públicas Oswaldo Corneti/Fotos Públicas Prefeitura de São Paulo pretende investir R$ 9 milhões na cicloviária em 2018

A Prefeitura de São Paulo pretende construir 1.400 Kms de malha cicloviária, nos próximos 10 anos. Atualmente, a capital conta com 500 Kms e o novo modelo pretende expandir a integração com as estações de Metrô e CPTM.

A proposta foi apresentada pelo prefeito Bruno Covas será discutida com a população até o final do ano, em todas as 32 prefeituras regionais. Bruno Covas criticou o modelo implantado na gestão petista de Fernando Haddad e promete um novo relacionamento entre as bicicletas e a capital.

“O prefeito anterior construiu ciclovia como se jogar orégano em pizza e foi ‘salpicando’ pela cidade. Não poderíamos fazer da mesma forma porque precisamos de um plano que dê racionalidade ao sistema”, declarou o mandatário.

Ciclovias vão ocupar os eixos Norte, Sul, Leste e Oeste, marginais Pinheiros e Tietê, Bandeirantes, Tancredo Neves, Juntas Provisórias e Salim Farah Maluf. Pela grande movimentação nessas áreas serão construídas vias segregadas do leito em que circulam os carros e demais veículos.

As redes regionais ocuparão ciclofaixas em áreas de comércio, serviço, transporte e lazer, e as locais caminhos entre bairros por ciclorrotas.

Para o secretário de Transportes, João Octaviano, é preciso acabar com a rejeição e as bicicletas vieram para ficar. “Imaginamos que agora, com essas reuniões, a gente realmente consiga eliminar a maioria desses problemas. Pelo menos, vamos ter um conceito da implantação do sistema cicloviário na cidade”, disse. João Octaviano.

No orçamento municipal existe uma previsão R$ 9 milhões para serem gastos com a malha cicloviária em 2018. Para os próximos dois anos de gestão, o prefeito Bruno Covas pretende utilizar mais R$ 30 milhões para colocar os planos no viário da capital.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos