Presidente da ABERT promete trabalhar para flexibilizar ainda mais a Voz do Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 15/03/2018 06h40 - Atualizado em 15/03/2018 08h56
Reprodução/TwitterApós a Câmara dos Deputados aprovar a flexibilização da Voz do Brasil, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão espera acabar com o noticiário obrigatório

Após a Câmara dos Deputados aprovar a flexibilização da Voz do Brasil, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão espera acabar com o noticiário obrigatório.

O posicionamento é do presidente da ABERT, Paulo Tonet, que acredita que a mudança pode abrir novas possibilidades aos ouvintes: “nós gostaríamos que este programa não estivesse na nossa grade e que pudéssemos informar a população sobre as coisas que acontecem no Governo com o nosso jornalismo. Mas o possível foi conseguido, isso vai ser muito importante para as rádios e melhora para os nossos ouvintes”.

Paulo Tonet prometeu trabalhar para flexibilizar ainda mais a Voz do Brasil.

O programa existe desde 1935, e passou a ser obrigatório três anos depois, sendo transmitido entre as 19h e 20h, exceto aos sábados, domingos e feriados.

Com a decisão do plenário da Câmara, a transmissão integral da Voz do Brasil deverá ocorrer dentro do intervalo entre 19h e 22h de segunda a sexta-feira.

A proposta também prevê que o Poder Executivo regulamente casos excepcionais de flexibilização e dispensa do programa, como calamidade pública e competições esportivas relevantes. O texto segue para sanção do presidente Michel Temer.

*Informações do repórter Matheus Meirelles