Presidente de comissão especial da reforma critica postura de deputados do PSL

Marcelo Ramos também teceu críticas aos embates entre governistas e oposição

  • Por Jovem Pan
  • 24/05/2019 08h15
Pablo Valadares/Câmara dos DeputadosMarcelo Ramos disse que ao contestar publicamente o presidente da comissão e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o PSL dificulta a aprovação da Nova Previdência

O presidente da comissão especial da reforma da Previdência, deputado Marcelo Ramos (PR), fez críticas ao Governo e ao PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo ele, um deputado da legenda teria dito que é mentira falar que a reforma da Previdência vai ser aprovada em junho na comissão e em julho no plenário. Outro parlamentar o teria acusado de atrasar a tramitação da proposta.

Marcelo Ramos disse que ao contestar publicamente o presidente da comissão e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o PSL dificulta a aprovação da Nova Previdência.

Ao longo da semana, outros líderes de partidos do Centrão, como os deputados Arthur Lira (PP) e Elmar Nascimento (DEM), também subiram à tribuna do plenário para reprovar o modo como o Governo trata o Congresso.

Marcelo Ramos também teceu críticas aos embates entre governistas e oposição que, segundo ele, se contentam com vitórias pontuais em votações na Casa, sem olhar para o país como um todo.

Ao final da sessão, o líder do PSL na Câmara, deputado Delegado Waldir, pediu desculpas para o deputado pela postura de membros da bancada e fez um afago ao presidente da Casa e ao Centrão.

Integrantes de partidos de centro também vêm criticando as manifestações programadas para o próximo domingo. Já o PSL aposta nos atos de rua para aumentar a pressão sobre o Congresso em prol de pautas como a manutenção do Coaf nas mãos do ministro da Justiça, Sergio Moro.

*Informações do repórter Levy Guimarães