Presidente da Petrobras chama grevistas de ‘terroristas’; audiência de conciliação acontecerá nesta sexta

  • Por Jovem Pan
  • 21/02/2020 07h39 - Atualizado em 21/02/2020 07h43
Tânia Rêgo/Agência BrasilOs representantes da companhia vão para esta reunião de conciliação em Brasília com expectativa de acordo

O presidente da Petrobras, Roberto Castelo Branco, acusou nesta quinta-feira (20), alguns grevistas de atividades terroristas contra um empregado aposentado que voltou à empresa em meio a paralisação. A audiência de conciliação entre a empresa e os grevistas acontece nesta sexta-feira (21).

Segundo o presidente, as ameaças foram feitas  funcionário, que está retornando ao trabalho, e também a família do empregado. Para ele, as atitudes são consideradas terroristas, inadmissíveis e dignas de movimentos autoritários.

Na ocasião, o Castelo Branco reiterou que a greve não afetou a produção e atividade da empresa e atribuiu a normalidade ao sucesso e esforço das equipes de contingência que têm “suado a camisa” durante o movimento grevista, que já dura cerca de 20 dias.“Estamos preparados para enfrentar uma longa greve. Temos profissionais qualificados para operar tanto as plataformas, quanto as refinarias.”

O diretor de relações institucionais da Petrobras, Roberto Ardhenguy, declarou nesta quinta-feira (20) na sede da empresa, quando a diretoria  detalhou o resultado de 40 bilhões de dólares no ano de 2019, que os representantes da companhia vão para a reunião de conciliação em Brasília com uma expectativa positiva de acordo.

A Federação Única dos Petroleiros (FUP), que vem comandando o movimento grevista, afirmou desconhecer o caso abordado pelo presidente da Petrobrás em que um funcionário teria sido intimidado pelos grevistas.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga.