Preso chefe de organização criminosa que falsificava cigarros e atuava em todo o País

  • Por Jovem Pan
  • 21/09/2017 08h07 - Atualizado em 21/09/2017 10h46
Rafael Neddermeyer/ Fotos PúblicasClodoaldo era apontado como o chefe de uma quadrilha que produzia e distribuía cigarros falsificados em todo o País

A Polícia Civil de São Paulo prendeu nessa quarta-feira (20) o chefe de uma megaorganização criminosa que falsificava cigarros e atuava em todo o Brasil.

A prisão de Clodoaldo José Siqueira, em Santana do Parnaíba, na Grande São Paulo, nessa quarta-feira, foi um dos desdobramentos da Operação Sem Filtro, da Polícia Civil do Paraná em conjunto com a Receita Federal.

Clodoaldo era apontado como o chefe de uma quadrilha que produzia e distribuía cigarros falsificados em todo o País.

Além da falsificação, as investigações descobriram que Clodoaldo era dono de uma empresa de produções artísticas, usada para a lavagem de dinheiro.

Entre os artistas produzidos, o filho de Clodoaldo, Rafael, da dupla de sertanejo universitário Fábio e Rafael, da cidade de Londrina, no interior do Paraná.

Além de Clodoaldo e Rafael, a Polícia cumpriu outros 14 mandados de prisão e 19 de busca e apreensão em quatro Estados: São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Bahia. R$ 6,5 milhões em bens dos integrantes do grupo criminoso foram apreendidos pelos policiais.

Só nos últimos 12 meses, quando a quadrilha estava sendo investigada, a estimativa é que eles causaram um grande prejuízo aos cofres públicos, como explica o delegado da Receita Federal de Londrina, Luiz Fernando da Silva Costa: “uma sonegação durante o ano, de estimativa nossa, de cerca de R$ 90 milhões”.

Os investigados vão responder pelos crimes contra a saúde pública, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

*Informações do repórter Caio Rocha