Preso em SP, suspeito de pedofilia abordava crianças em redes sociais    

  • Por Jovem Pan
  • 04/02/2020 06h55 - Atualizado em 04/02/2020 08h19
PixabayO suspeito deve responder pelos crimes de aliciamento de crianças para prática sexual e armazenamento de conteúdo pornográfico envolvendo menores

A Polícia Civil prendeu um homem de 30 anos acusado de assédio contra uma menina de 10 anos em São Paulo. Ele foi detido em casa, em Paraisópolis, e autuado em flagrante. Os pais procuraram a Polícia após descobrir a troca de mensagens da filha com o desconhecido.

No diálogo, o suspeito dizia que iria cuidar dela e ensinar sobre sexo. E a menina não foi a única vítima. De acordo com as investigações, o pedófilo aliciava crianças por meio de redes sociais e pedia o número do celular.

O delegado Edson Carlos Tavares diz que o pedófilo mandava mensagens e fotos íntimas para as crianças em aplicativos de troca de mensagens.

“Inclusive tinha um grupo no telefone chamado ‘Família do Tio Anderson’ onde encontramos muitas crianças dos mais diversos Estados. Ele disse que se excita com esse tipo de imagem, mas nega qualquer contato físico com as crianças.”

A maior parte das conversa foi apagada pelo pedófilo, mas o delegado acredita ser possível recuperar o material. Se for o caso, o conteúdo será enviado para a polícia de outros Estados.

O delegado Edson Carlos Tavares reforçou a importância do monitoramento do uso da internet por crianças.

“Observar os sites que eles acessam, com quem eles conversam. Ao mesmo tempo que a internet é uma fonte fantástica e informações, pode ser utilizada por pessoas má intencionadas que podem causar danos para toda a vida.”

O suspeito deve responder pelos crimes de aliciamento de crianças para prática sexual e armazenamento de conteúdo pornográfico envolvendo menores.

As penas somadas podem chegar a 7 anos de prisão.

*Com informações da repórter Nanny Cox