Preso novamente, Carlos Ghosn afirma ser inocente e pede ajuda da França

  • Por Jovem Pan
  • 05/04/2019 06h46
EFECarlos Ghosn, que tem cidadania francesa, libanesa e brasileira, pediu ajuda do governo da França

O brasileiro Carlos Ghosn foi preso novamente nesta quinta-feira (04) depois de receber novas acusações de fraude financeira. A prisão faz parte da quarta acusação obtida pelos procuradores em um escândalo que abalou a indústria automotiva e provocou questionamentos sobre o sistema judicial do Japão.

Carlos Ghosn, que tem cidadania francesa, libanesa e brasileira, pediu ajuda do governo da França. Em uma entrevista para o canal TF1, ele falou pela primeira vez, disse ser inocente e pediu que o governo francês defenda seus direitos como cidadão.

Além disso ele comentou que não entende e que tem medo de como vai ser o seu julgamento no final do processo, também disse ter corruptos dentro da Nissan que quiseram colocar a culpa nele.

O ministro das Finanças francês disse que Ghosn precisa usufruir da presunção de inocência e que ele está recebendo proteção consular.

O principal advogado do executivo disse que os procuradores querem silenciar o executivo que, na quarta-feira (03), tuitou planos de realizar sua primeira coletiva de imprensa no dia 11 de abril.

A acusação adicional provavelmente prolongará o julgamento de Carlos Ghosn, que deve começar no final deste ano.

*Informações do repórter Victor Moraes