Prevenção ao suicídio: 9 em cada 10 mortes podem ser evitadas, diz OMS

  • 09/09/2019 07h10 - Atualizado em 09/09/2019 10h03
DivulgaçãoA cada 45 minutos uma pessoa tira a própria vida no país, o que significa 32 mortes por dia

Esta terça-feira, 10 de setembro, é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. Em razão disso foi criada, há quatro anos, a campanha Setembro Amarelo, para incentivar a discussão do assunto ao longo de todo este mês.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 mortes provocadas pela própria pessoa podem ser evitadas. Aqui no Brasil, o suicídio é uma questão de saúde pública. A cada 45 minutos uma pessoa tira a própria vida no país, o que significa 32 mortes por dia. Esse número é maior do que as mortes causadas por doenças como câncer e Aids.

Ao contrário do que se acreditava tempos atrás, falar sobre suicídio não incentiva tal prática. Pelo contrário, é por meio da divulgação de informações que é possível combatê-lo, como explica a psicóloga Karen Scavacini. “Sem dúvida nenhuma, é possível prevenir o suicídio. Falar abertamente é o primeiro caminho.”

Há alguns sinais que podem ajudar a identificar potenciais vítimas. Alguns sintomas são isolamento, mudanças drásticas de hábitos, falta de interesse por atividades de que antes gostava e descuido com a aparência.

Alterações no sono e no apetite e frases como “preferia estar morto” ou “quero desaparecer” também podem ser indicativos de que pessoa pode cometer esse ato.

Combater o suicídio também significa conhecer as suas causas, conforme explica a psicóloga Karen Scavacini. “O suicídio acontece por diversas causas, ele é multifatorial. São fatores sociais, econômicos, estruturais, psicológicos e psiquiátricos que influenciam esse comportamento.”

Para ajudar alguém que esteja nesta situação, é importante conversar com a pessoa de forma aberta, compreensiva e empática e mostrar a ela a importância da ajuda de um profissional.

Um dos comportamentos que devem ser evitados é rechaçar o que ela está dizendo, esboçar expressões de choque e reprimir os sentimentos dessa possível vítima.

Recentemente, um caso que tomou grandes proporções foi o vídeo publicado pelo influenciador digital Carlinhos Maia, que chamou de “imbecis” quem pensa em cometer suicídio. Depois da ocasião, Carlinhos Maia pediu desculpas pelas declarações.

Para quem precisar de ajuda, o Centro de Valorização da Vida (CVV) tem voluntários 24 horas por dia, todos os dias da semana, para dar apoio emocional e prevenir o suicídio por meio do telefone 188.

A ligação é gratuita.

*Com informações da repórter Nicole Fusco