Prevenção e bateria de exames marcam o Dia Mundial do Combate à AIDS

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2019 07h14 - Atualizado em 02/12/2019 07h46
Marcelo Camargo/ABrDe acordo com o Ministério da Saúde, 135 mil pessoas vivem com HIV e não sabem

O domingo (1) foi marcado por atos de visibilidade ao Dia Mundial de Combate a AIDS no Brasil. Em São Paulo, centenas de pessoas participaram de uma caminhada da Rua Augusta até a Avenida Paulista.

Durante todo o dia, uma unidade da Secretaria Municipal da Saúde realizou testes de HIV na região.

No Rio de Janeiro, a ONG Grupo Pela Vida mobilizou pessoas que vivem com o HIV, amigos e familiares. Na praia de Copacabana, foram distribuídos kits de prevenção e material informativo.

De acordo com o Ministério da Saúde, 135 mil pessoas vivem com HIV e não sabem. Com base nessa informação, a pasta lançou, na última sexta-feira (30), uma campanha de prevenção ao vírus. O foco é incentivar pessoas a procurar uma unidade de saúde e realizar o teste rápido.

De acordo com o médico infectologista Jean Gorinchteyn, a detecção precoce é essencial para eficácia do tratamento. “O ideal é fazer a testagem, saber se é ou não soropositivo e, aí inciar, de forma absolutamente segura e gratuita, as medicações que nós chamamos de antirretrovirais, que fazem parte do coquetel que é oferecido gratuitamente pelo SUS [Sistema Básico de Saúde].”

Em 2018, foram registrados quase 44 mil novos caso de AIDS no país: 57% deles entre jovens de 20 a 34 anos. Ainda assim, de acordo com o Ministério da Saúde, foram evitadas cerca de 2.500 mortes pela doença entre os anos de 2014 e 2018.

*Com informações da repórter Larissa Coelho