Primeiro lote da Janssen chega a todos os Estados do Brasil

Imunizante desembarcou no país na última terça-feira, depois de um atraso; na sexta foi entregue, também, a remessa da vacina doada pelos Estados Unidos

  • Por Jovem Pan
  • 26/06/2021 06h55 - Atualizado em 26/06/2021 11h04
DANILO M YOSHIOKA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 25/06/2021Imunizante contra Covid-19 da Janssen é aplicado em dose única

Todos os Estados brasileiro já receberam o primeiro lote do imunizante contra a Covid-19 da Janssen. O último a receber foi o Amapá, na tarde desta sexta-feira, 25. Ficará a critério da cada Estado definir qual o público será imunizado com esta vacina. O Ministério da Saúde disse que este primeiro lote pode ser usado até agosto. O diferencial do imunizante da Janssen é que ele é o único disponível até agora feito com a aplicação de apenas uma dose, o que otimiza o processo de vacinação.  Ele pode ser armazenado por pelo menos três meses e em temperaturas que variam de 2 a 8°c, o equivalente a geladeiras comuns. O imunizante desenvolvido pela farmacêutica do grupo Johnson & Johnson apresentou eficácia de 66% para os casos moderados da doença, e de 85% para os graves. O contrato firmando entre o governo e a farmacêutica prevê a entrega de 38 milhões de doses. O primeiro lote do imunizante chegou ao Brasil na última terça-feira, depois de um atraso. Na sexta chegou, também, a remessa da vacina doada pelos Estados Unidos.

O ministro da saúde, Marcelo Queiroga, foi até o aeroporto de vira copos, em Campinas, para receber as doses.  Acompanhado do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, ele agradeceu a doação. “Em nome do presidente Bolsonaro, eu gostaria, embaixador, que o senhor transmitisse o nosso profundo agradecimento ao presidente Joe Biden por esse ato de generosidade para com o povo do Brasil. Essas três milhões de doses representam um esforço extraordinário para o avanço da campanha de vacinação no Brasil e simboliza a grande amizade que existe entre os nossos povos. Duas grandes nações, um só objetivo: acabar com o caráter pandêmico da Covid-19, que também infelicidade tem trazido para os nossos povos”, disse Queiroga. O embaixador Todd Chapman ressaltou o trabalho do presidente norte-americano Joe Biden e garantiu a continuidade da parceria na área da saúde com o Brasil. “O presidente Biden fez uma promessa de distribuir as vacinas que nós temos para o mundo. A nossa cooperação com o Brasil na área da saúde pública tem uma longa história. Durante a pandemia, já entregamos medicamentos de intubação, respiradores, ventiladores e nós vamos continuar”, afirmou. Chapman ressaltou que a doação das vacinas teve um valor de R$ 145 milhões e que este foi a maior auxílio dado pelos Estados Unidos, durante a pandemia, a uma outra nação.

*Com informações da repórter Camila Yunes