Procon atualiza lista de sites fraudulentos que dão golpe no consumidor

  • Por Jovem Pan
  • 22/07/2017 09h36
ComputadorSegundo a assessora técnica Fatima Lemos, o ranking com 508 endereços - iniciado em 2011 - continua crescendo, mas em um ritmo menor

A Procon atualiza a lista de sites que devem ser evitados pelos consumidores e avalia que há menos golpistas se aventurando no mercado de vendas on-line.

Segundo a assessora técnica Fatima Lemos, o ranking com 508 endereços – iniciado em 2011 – continua crescendo, mas em um ritmo menor do que em anos anteriores. “Ela cresceu em um primeiro momento muito, mas embora a gente tenha número significativo de empresas na lista, percebemos que ela, ano a ano, a gente insere um número menor”, disse.

A principal reclamação sobre as empresas que possuem irregularidades na prática do comércio eletrônico estão relacionadas a falta de entrega do produtos.

De acordo com o Procon-SP, esses fornecedores não são localizados, nem mesmo através de rastreamento feito no banco de dados de órgãos como Junta Comercial, Receita Federal e Registro BR, responsável pelo registro de domínios no Brasil, o que inviabiliza a solução do problema apresentado pelo consumidor.

Neste caso, o órgão sugere ao consumidor cancelar a compra pela operadora de cartão de crédito, por exemplo.

E antes de tudo isso, Fatima Lemos explica que é fundamental checar informações sobre a loja, inclusive CNPJ, caso não seja uma página com referências, e canais de contato.

Entre os itens que devem ser checados com cuidado pelo consumidor está a principal isca: o preço bem abaixo do mercado.

O site para conferir a lista de sites fraudulentos que deve ser evitadas pelo consumidor é procon.sp.gov.br

*Informações da repórter Carolina Ercolin